Como criar uma cultura organizacional forte

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Considerada a essência da empresa, com suas normas, regras de conduta e comportamentos, a cultura organizacional concentra também a missão, os valores e a missão da organização. É como se todos os colaboradores, independentemente do setor, ‘falassem’ a mesma língua.
 
Ela é fundamental para nortear os caminhos a serem seguidos, os deveres e direitos, assim como a rotina dos profissionais. É a cultura organizacional que faz com que os colaboradores acreditem na organização e, consequentemente, transmitam essa credibilidade aos clientes e se esforcem para obter bons resultados.
 
Mas quais são os principais tipos de cultura organizacional?
Há várias formas de conduzir a cultura organizacional dentro de uma empresa, de acordo com os objetivos e com o perfil da organização. A partir da definição dessas normas, os profissionais passam a adotar comportamentos, que se tornam um reflexo da linha de pensamento da empresa.
Listamos abaixo 6 tipos de cultura organizacional. Acompanhe:
 
Cultura de funções
Geralmente é mais utilizada em instituições públicas. Com foco nos regulamentos e normas, costuma ser inflexível, muito pauta nas funções de cada equipe e de cada colaborador. Frequentemente exige muito tempo na execução de tarefas.
 
Cultura de tarefas
Embora o nome seja similar ao anterior, elas se diferem. É uma cultura mais flexível, que leva em consideração a improvisação, o ritmo pessoal dos envolvidos. Aspectos socioemocionais e regras são menos valorizadas.
 
Cultura do poder
Como o próprio nome diz, é aquela cultura pautada pela valorização das relações hierárquicas. Por um lado, tem vantagens como organização e disciplina, mas por outro incentiva a competição extremada e pode gerar brigas internas ou disputas por cargos a qualquer preço.
 
Cultura da inovação
É a ‘menina dos olhos’ entre os tipos de cultura organizacional. Na maioria das vezes, é implantada em empresas em franca evolução, com projetos inovadores e abertas a novas ideias e propostas. Cada negócio tem um foco bastante definido, que pode sofrer ajustes caso seja necessário, à medida em que os projetos vão sendo implantados.
 
Cultura de pessoas
O foco são as pessoas. É apontada como a cultura da valorização das ideias, dos talentos e, geralmente, é encontrada em empresas relativamente novas, formadas por profissionais modernos e com espírito empreendedor.
 
Cultura da marca
Seus seguidores literalmente ‘vestem a camisa’ da empresa. Mais do que vestir a camisa, essa cultura prevê que os colaboradores realmente acreditem nos preceitos da organização e em seus princípios éticos. Entre os aspectos estão o compromisso com o trabalho, a busca por bons resultados, o reconhecimento dos colaboradores e a motivação entre equipes.
 
Entre os itens que levam a uma cultura organizacional forte, que realmente definam a empresa estão elementos como:
– Inovação: estímulo a novas ideias, propostos e projetos.
– Investimento no colaborador: oferta de benefícios, cursos, atitudes que motivam a equipe.
– Busca de resultados: foco no crescimento das vendas e no bom atendimento ao cliente.
– Atenção aos detalhes: investimento na análise e na precisão na confecção do projeto ou satisfação do cliente.
– Competitividade: ênfase em outros mercados, no que a concorrência está oferecendo.
 
Como se vê, a cultura organizacional não pode ser um enigma, um mistério que poucas pessoas sabem o que é. Ela precisa ser exposta, transparente e clara dentro e fora da empresa, para que os colaboradores formem equipes sólidas, coerentes e afeitas ao objetivo de crescimento da organização.